Ministro Verlinden exige agentes após greve da polícia aeronáutica.

Trata-se dos aeroportos de Zaventem, Ostende, Antuérpia, Liège, Charleroi e Wevelgem. No entanto, ainda não está claro quais ações serão tomadas. Tornou-se conhecido que quatro sindicatos policiais estão ameaçando ações nos aeroportos belgas a partir de sexta-feira. Cortes orçamentários substanciais significam que a polícia tem que fazer isso com menos mão de obra, o que ameaça não apenas a segurança dos colegas, mas também a dos viajantes.

Em um comunicado por escrito, os sindicatos dizem que o turno da noite será abolido em Zaventem, entre outros. A carga de trabalho é tão alta que os inspetores não conseguem mais dormir à noite após o turno. O cancelamento de serviços apresenta riscos, principalmente nos aeroportos menores.

Oficiais em greve querem bloquear vias de acesso e realizar ações de pontualidade, entre outras coisas. Por volta desses dias, os aeroportos ficam mais cheios porque muitas pessoas retornam das férias de verão. Charleroi e Zaventem, de onde também partem ou chegam muitos passageiros holandeses, também enfrentam ações. As de Liège, onde a carga é principalmente transportada, começarão na tarde de segunda-feira.

Em resposta, o gabinete de Verlinden destaca que o governo federal investiu 310 milhões de euros na polícia integrada durante este mandato. O Ministro do Interior Annelies Verlinden (CD&V) emitiu uma requisição para o pessoal do aeroporto na terça-feira.

Oficiais em greve querem bloquear vias de acesso e realizar ações de pontualidade, entre outras coisas.
Artigos relacionados:
Leia também  KNV pede à FNV que se concentre no futuro
Pacote de calendário
Imprimir amigável, PDF e e-mail