Imagem Pitane

À medida que a violência entre Israel e o Hamas aumenta, as companhias aéreas e os viajantes enfrentam um dilema de segurança e incerteza, sendo os conselhos de viagem atualizados um fator complicador.

A sirene de ataque aéreo chegou a Israel completamente de surpresa, após um ataque terrorista em grande escala levado a cabo pela organização militante Hamas a partir da Faixa de Gaza. O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, declarou que o seu país se encontra em estado de guerra após esta súbita e violenta escalada de violência. À medida que os foguetes e os combates perturbam a vida em Gaza e em torno de Israel, as companhias aéreas enfrentam um dilema: cancelar ou não os voos para Tel Aviv.

O Ministério das Relações Exteriores agora tem dicas de viagem para Israel apertado. O que antes era amarelo agora é laranja: só viaje para Israel se for estritamente necessário. As áreas fronteiriças perto de Gaza, Síria, Líbano e Egipto estão marcadas como zonas vermelhas; o conselho é explicitamente evitar essas áreas. As pessoas que estão atualmente em Israel são aconselhadas a procurar imediatamente um local seguro, como um abrigo antiaéreo, quando ouvirem a sirene de ataque aéreo.

Esta situação preocupante tem consequências diretas para os viajantes com destino a Israel. Embora as companhias aéreas ainda não possam confirmar se muitos viajantes irão querer cancelar a sua viagem, os passageiros devem ter em atenção que os seus voos programados poderão ser cancelados. cancelado. De qualquer forma, a KLM anunciou no domingo que o voo KL0461 foi cancelado devido a medidas impostas pelo governo local ou pelo controlo de tráfego aéreo. A Transavia anunciou também que o voo HV 5803 para Tel Aviv foi cancelado devido à situação incerta na região. O voo EJU9971 da Easyjet também foi cancelado. O voo LY 336 para Tel Aviv operado pela El Al Israel Airlines continuaria por enquanto.

“A situação de segurança nesta área pode deteriorar-se repentinamente devido aos desenvolvimentos no conflito entre o Hamas e Israel”, escreveu o ministério. No início do dia, os conselhos de viagem para Israel também foram reforçados.

O conflito está agora a ter impacto também nos países vizinhos e o Líbano não é excepção. Na sequência dos acontecimentos, o Ministério dos Negócios Estrangeiros holandês emitiu conselhos de viagem para certas partes do Líbano apertado. Isto diz especialmente respeito à zona a sul de Beirute até à fronteira com Israel. O ministério aponta para uma possível deterioração da situação de segurança como resultado direto das tensões entre o Hamas e Israel.

(O texto continua abaixo da foto)
KLM

Embora o foco esteja na tragédia humana que se desenrola no terreno, o impacto secundário na aviação e nas viagens internacionais não pode ser subestimado.

O que é surpreendente nestes ataques recentes é a sua escala e natureza. O Hamas não só lançou um número sem precedentes de foguetes, mas também enviou combatentes através da fronteira, uma tática nunca antes utilizada desta forma. O resultado é um número muito maior de baixas israelenses do que em confrontos anteriores. Parece que Israel foi apanhado completamente de surpresa por estes ataques, levantando questões sobre a eficácia dos serviços de inteligência do país.

abrangendo

Durante meses houve uma tensão crescente entre israelitas e palestinianos, centrada principalmente na Cisjordânia ocupada. Agora essa atenção está a deslocar-se para a Faixa de Gaza, mas as consequências desta escalada para a Cisjordânia e Jerusalém ainda não são claras. Além disso, o conflito não afecta apenas Israel. Os conselhos de viagem para partes do Líbano também foram ajustados. O ministério desaconselha a realização de viagens não essenciais na zona a sul de Beirute até à fronteira com Israel, uma vez que a situação de segurança poderá deteriorar-se repentinamente devido à evolução do conflito.

Há poucas dúvidas de que Israel responderá a estes ataques. A questão principal continua a ser saber como é que esta súbita escalada irá impactar ainda mais o já complexo e sensível cenário político na região, e o que isso significará para a segurança da aviação civil e para a comunidade internacional como um todo.

Artigos relacionados:
Aeroporto
Imprimir amigável, PDF e e-mail