Imprimir amigável, PDF e e-mail
Imagem Pitane

É um pequeno passo para a indústria dos táxis, mas um grande passo para a inclusão na cidade de Gante.

A cidade de Gante organizou formação especializada para melhor equipar os motoristas de táxi para servir os clientes com deficiência. Sete motoristas locais participaram voluntariamente nesta formação, que incluiu componentes teóricas e práticas. O curso foi ministrado por Myriam De Schynkel, terapeuta ocupacional da AZ Maria Middelares.

O treinamento, que é inédito em muitos aspectos, incluiu dicas práticas e diversos exercícios práticos. A ênfase estava na comunicação com passageiros que podem ter certas limitações, como problemas de audição ou visão. “Faça contato visual e anote as coisas no papel, se necessário. Entenda também que algumas pessoas podem precisar de mais tempo”, aconselhou De Schynkel.

Posteriormente, os participantes receberam não só uma etiqueta da cidade para marcar os seus veículos, mas também diversas ferramentas que podem utilizar nos seus táxis para melhorar a experiência tanto para o cliente como para eles próprios. Filip Watteeuw, conselheiro da Mobility for Green, enfatizou o objetivo maior do programa: “Trata-se de permitir que todos participem na vida social. Não queremos que as pessoas fiquem para trás porque simplesmente não conseguem se locomover tão facilmente.”

Há também a componente económica. As empresas de táxi que investem nesta formação podem atrair uma base de clientes mais ampla, incluindo pessoas que anteriormente hesitavam em utilizar táxis. Na verdade, este tipo de iniciativas atingem vários objetivos ao mesmo tempo: aumentar a mobilidade das pessoas com deficiência, melhorar as operações comerciais das empresas de táxi e promover uma comunidade mais inclusiva.

Leia também  Velo-city: Ghent dá o pontapé inicial e pedala no grande Bike Parade
(O texto continua abaixo da foto)
Material de imagem AVS para ilustração - Myriam De Schynkel, terapeuta ocupacional da AZ Maria Middelares

Este novo programa de formação não é apenas um passo em frente na abordagem da acessibilidade, mas também simboliza uma mudança na forma de pensar sobre a mobilidade urbana. Ao fornecer aos motoristas de táxi as ferramentas e os conhecimentos necessários para servir os clientes com deficiência, a cidade de Ghent reconhece a importância da inclusão na rede de transportes públicos.

Esta iniciativa faz parte de um pacote mais amplo de medidas que a cidade introduziu para facilitar a mobilidade das pessoas com deficiência. Ghent já oferece vales especiais de táxi para pessoas com mobilidade limitada e baixos rendimentos. Estas verificações permitem que os residentes utilizem um táxi licenciado em Ghent a uma tarifa reduzida. O sistema ficará ainda mais fácil de usar: a partir de 2024, a alocação desses cheques será automatizada, segundo a vereadora da Igualdade de Oportunidades, Astrid De Bruycker.

É evidente que esta formação foi recebida positivamente pela comunidade e pelos meios de comunicação social. A cidade espera que isto abra caminho para medidas e iniciativas mais inclusivas no futuro, para melhorar a qualidade de vida e a mobilidade de todos os residentes de Ghent.

Mais sobre esta iniciativa: relatório AVS

Artigos relacionados:
Chiron