Imagem Pitane

Um pagamento de 94 milhões evita apreensão e marca um novo rumo tributário na Itália para a empresa holandesa.

A Booking.com, uma empresa de viagens online com sede na Holanda, chegou a um acordo financeiro significativo com as autoridades fiscais italianas ao pagar 94 milhões de euros. Este acordo, que resulta de um procedimento de 'adesão' com a Agenzia delle Entrate, põe fim a um litígio sobre a não declaração de IVA de 2013 a 2021. Como resultado, a empresa evita uma apreensão. As irregularidades fiscais vieram à tona através de uma investigação do Guardia di Finanza de Chiavari, liderado pelo Ministério Público de Génova.

A questão dizia respeito à aplicação do mecanismo de cobrança inversa, em que a Booking.com não cobrava IVA aos clientes italianos, um método que as autoridades italianas afirmaram ter sido utilizado incorretamente por fornecedores sem número de IVA. A empresa não emitiu faturas de IVA nem apresentou declarações de IVA para um grande número de fornecedores sem número de IVA. Estas práticas foram reveladas pelos procuradores italianos e confirmadas por documentos da justiça holandesa obtidos através da Eurojust.

(O texto continua abaixo da foto)

Este caso serve também de alerta a outras multinacionais relativamente à necessidade de cumprimento rigoroso da legislação fiscal local, especialmente numa altura em que os serviços digitais são cada vez mais escrutinados pelas autoridades fiscais em todo o mundo.

Em resposta a esta situação, a Booking.com apresentou a sua declaração fiscal de 2022, de acordo com a legislação fiscal italiana, e declarou um imposto superior a 19 milhões de euros. A empresa também ajustou o seu modelo organizacional: se um cliente-provedor não fornecer nenhum ou um número de IVA inválido para a UE, Booking.com cobrará 22% de IVA e cuidará da declaração e do pagamento deste imposto em Itália.

Leia também  Aumento recorde nas taxas turísticas e taxas de estacionamento nas cidades holandesas

Booking.com sublinha numa declaração o seu compromisso com o cumprimento das leis em todos os países onde opera, incluindo obrigações fiscais. A empresa confirma que celebrou um acordo com as autoridades fiscais italianas durante o período contestado e espera continuar a prestar serviços de alta qualidade em Itália.

Artigos relacionados:
DESPACHO
Imprimir amigável, PDF e e-mail