Imprimir amigável, PDF e e-mail
Imagem Pitane

A Aliança da Mobilidade, o VNG e o IPO apelam urgentemente à coligação pretendida para tornar a mobilidade uma parte inseparável da nova política.

No actual clima político, com um novo gabinete no horizonte, a pressão para alcançar investimentos substanciais e sustentáveis ​​no sector da mobilidade está a aumentar. Os Países Baixos enfrentam desafios significativos nas áreas da construção habitacional, da sustentabilidade e da qualidade de vida, nas quais a mobilidade desempenha um papel crucial. Este tema, referido como a “força vital da nossa sociedade”, requer investimentos estruturais para manter os Países Baixos acessíveis, acessíveis e habitáveis, de acordo com a Aliança para a Mobilidade, a Associação de Municípios Holandeses (VNG) e a Consulta Interprovincial (IPO).

Marga de Jager, presidente da ANWB e também presidente da Mobility Alliance, sublinha a importância da mobilidade não como um fim em si, mas como condição essencial para a participação social. “Acessibilidade e preços acessíveis são cruciais”, afirma, salientando a importância de uma infra-estrutura que inclua auto-estradas, ciclovias e caminhos pedonais, vias navegáveis ​​e uma densa rede de transportes públicos.

política de mobilidade

A necessidade de ação é clara. As partes colaboradoras observam que os Países Baixos ficarão assoreados sem uma forte política de mobilidade por parte do próximo gabinete. Há uma necessidade anual de 2 a 3 mil milhões de euros adicionais apenas para gestão e manutenção, além dos investimentos necessários na expansão e renovação da infra-estrutura. O representante Harry van der Maas, do IPO, coloca a questão desta forma: “Isto pode ser evitado lidando de forma mais inteligente com o que já existe, em combinação com mais dinheiro”.

Os políticos devem também continuar a prestar atenção à acessibilidade tanto dos transportes públicos como do automóvel. Marga de Jager acrescenta que é importante que os partidos formadores não apenas olhem para o futuro, mas também tenham em conta os acordos previamente celebrados e os projectos em curso ou já planeados. “As falhas na gestão e manutenção das estradas nacionais, por exemplo, levam a uma pressão adicional nas estradas provinciais e locais”, afirma De Jager.

Leia também  Amsterdã: van der Horst revela planos para melhor acessibilidade e paradas adicionais
(O texto continua abaixo da foto)
Foto de : Jan van Burgsteden

"É importante para os nossos residentes que existam alternativas acessíveis e equivalentes ao carro, como bons transportes públicos em todas as regiões."

O vereador destaca a importância da acessibilidade a nível regional. Isto é especialmente importante para a acessibilidade de serviços essenciais, como hospitais e novas áreas residenciais, mesmo para pessoas que não possuem automóvel. A Mobility Alliance, composta por várias organizações líderes como ANWB, Arriva, BOVAG e muitas outras, oferece amplo apoio a estas questões. Apesar das diferenças entre os apoiantes destas organizações, existe uma busca comum por uma mobilidade acessível, económica e sustentável que apoie tanto a sociedade como a economia.

A Aliança para a Mobilidade, uma aliança poderosa parceria no sector da mobilidade holandês, representa um espectro notável de organizações, desde grupos de interesse até aos principais intervenientes nos transportes públicos e na construção de estradas. Este colectivo esforça-se por melhorias e inovações importantes que irão promover a acessibilidade, a acessibilidade e a sustentabilidade dos transportes nos Países Baixos.

A aliança inclui alguns dos nomes mais influentes e reconhecidos no setor da mobilidade. Entre eles está a ANWB, que além de seu papel no atendimento aos usuários das rodovias, também oferece serviços turísticos. A Arriva e a Dutch Railways (NS) são membros proeminentes que fornecem transporte de autocarro e comboio, respetivamente, cruciais para o funcionamento diário dos transportes públicos nos Países Baixos.

Empresas como a Bouwend Nederland e a MKB Infra representam o sector da construção e das infra-estruturas e desempenham um papel essencial no desenvolvimento da infra-estrutura de mobilidade física. Além disso, a Associação RAI desempenha um papel importante como representante das indústrias automóvel e de bicicletas, o que destaca a amplitude da aliança que inclui bicicletas e automóveis.

Leia também  Eleições: Europa investe milhões em transportes sustentáveis ​​nos Países Baixos

Os interesses de grupos específicos de utilizadores não são negligenciados. O Sindicato dos Ciclistas promove os interesses dos ciclistas, enquanto a Associação das Empresas Holandesas de Leasing de Automóveis (VNA) e a Associação dos Motoristas Empresariais representam os interesses dos motoristas empresariais e das empresas de leasing.

Em termos de transportes públicos, a aliança está bem representada por empresas como GVB, HTM, Keolis, Qbuzz, RET e Transdev que prestam serviços em diversas áreas urbanas dos Países Baixos, como Amesterdão, Haia, Roterdão e outros. A OV NL agrupa todas estas empresas sob um denominador comum, o que garante uma comunicação simplificada e o desenvolvimento de políticas no setor.

O Aeroporto Internacional de Schiphol também é membro da aliança, ligando o setor da aviação aos objetivos mais amplos de inovação e desenvolvimento da mobilidade nos Países Baixos. Schiphol desempenha um papel crucial na facilitação das ligações nacionais e internacionais.

SUBSCRIÇÃO
Artigos relacionados:
Lojas de aplicativos