O transporte público está novamente lidando com números dramáticos depois que o gabinete na sexta-feira passada pediu mais trabalho de casa. O número de viajantes diminuiu 40 por cento em comparação com o mesmo período antes da coroa em 2019, De Telegraaf relata com base em números da Translink.

Por exemplo, no horário de maior movimento, às 08.00h da segunda-feira, houve mais de 300.000 check-ins, onde normalmente há cerca de 545.000 naquele horário. À tarde foram 277.800 mil check-ins respectivamente, onde foram em média cerca de 491.000 mil pela corona.

“A chamada tem consequências, porque nas primeiras semanas de novembro a diminuição nestes períodos era de 33 e 36 por cento respetivamente, pelo que há novamente um aumento significativo de viajantes que evitam o transporte público”, disse o presidente Pedro Peters. Da OV-NL , a organização guarda-chuva das empresas de transporte público. “Os passageiros, em particular, ficam em casa em massa, enquanto os alunos continuam a usar ônibus, trem, bonde e metrô porque têm permissão para ir às aulas”.

Leia também: Bolt permite que taxistas de Londres definam tarifas

O conselho do trabalho de casa é seguido de perto.
Imprimir amigável, PDF e e-mail